quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Arthur Franquini "When Loneliness fucks you up..." (Slag, 2002)




               Egresso do posto de baterista do então trio Forgotten Boys, banda com a qual gravou o primeiro disco, Arthur Franquini não largou de vez as baquetas, mas, resolveu dividi-las com os vocais e arranjos para suas novas composições. Assim surgiu o disco duplo “When loneliness fucks you up...” que como o próprio nome sugere traz canções sobre solidão, amor, garotas e paixões platônicas.

Revista RockPress
              O álbum se divide em duas partes. O disco 1, gravado no ano de 2002 em Buenos Aires, traz Arthur na bateria e vocais, sendo acompanhado por amigos membros do Killer Dolls e da gravadora No Fun Records, é um disco mais cru e punk rock, “Perfect girl” tem guitarra surrupiada de “Looking for a kiss” do New York Dolls, “Don’t shoot me down” lembra Replacements, e outras referências sempre surgem. Tem covers de John Fogerty, “Almost Saturday night”, e “Lost highway” de Leon Payne, esta com um solo de guitarra slide muito legal!

         O disco 2 gravado em 2001 no estúdio El Rocha, em São Paulo, traz Maurício Takara na execução de todos instrumentos e dividindo a produção junto com Fernando Sanches e o próprio Arthur Franquini. É tão rock’n’roll quanto à gravação argentina, mas, a produção mais aprimorada deixou o disco mais 'limpo', o piano também ajudou a desacelerar os arranjos. Tem belas baladas, tais como “You” e “Dreaming of you”, com os vocais de Daniel Ganjaman. “Can you love me?” foi pinçada do primeiro álbum do Forgotten Boys. Os covers deste lado ficaram para “Angels in my arms”, do Jacobites e “Girl in black” do Dogs D'amour.

          O projeto gráfico é simples, feito em duas cores não traz nada além da lista das canções e ficha técnica de cada disco. Lançado pelo selo paulistano Slag Records, “When loneliness...” teve uma boa repercussão, na resenha ao lado Carlos Lopes (aka Carlos Vândalo) declara sua satisfação ao ouvir o álbum e enaltece suas influências declaradas de pré-punk rock nova-iorquino e outras referências de rock barulhento e, quase sempre, sujo. Arthur Franquini não deixou registros posteriores, suicidou-se em abril de 2005, ao se atirar do 11º andar de um hotel da capital paulista. Arthur tinha 27 anos.

                 Quer ouvir? Download aqui! 

4 comentários:

  1. cara nao consegui baixar o disco..tem como upar de novo...pra mimo melhor disco de rock brazuca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jack!
      Arrumei o link, tá no outro servidor, o mega. Espero que dê certo. Qualquer coisa, avise. Obrigado pela visita. Abs!

      Excluir
  2. cara queria agradecer pela considerção...putz acho esse o melhor disco do rock brazuca.....por tudo que envolve a historia dele...vaelu mesmo...tenho um blog bem porralouca...http://jackoldpunk.blogspot.com.br/..e se precisar de algum som...me da um toque...tenho muitos cds , dvds, vinis, fitas k7 e mp3....coisa de viciado

    ResponderExcluir
  3. Cara, o link tá fora. Por favor, tem como mandar de novo?

    ResponderExcluir